Seja bem-vindo ao RondôniaHoje, tudo que é notícia passa aqui!
domingo , 19 maio 2024
Policial

Ginecologista preso no PR: Polícia diz que 37 mulheres denunciaram médico por abuso sexual em Maringá

Ginecologista preso no PR: Polícia diz que 37 mulheres denunciaram médico por abuso sexual em Maringá

Por G1

Publicada em 24/06/2023 às 10h49

A Polícia Civil de Maringá, norte do Paraná, informou ter recebido 37 denúncias até sexta-feira (23) de mulheres de abuso sexual contra o ginecologista e obstetra Felipe Sá, que continua preso. Anteriormente, 31 vítimas tinham procurado a delegacia para registrar Boletins de Ocorrência (B.Os.).

A defesa do profissional negou as acusações e disse que vai provar a inocência dele durante a instrução do processo.

A polícia afirmou que ouviu 31 mulheres que registraram queixa contra o médico, que não tem data para ser ouvido. Ele está preso temporariamente.

O caso

Felipe Sá foi detido em 15 de junho no consultório dele, em Maringá. O ginecologista é investigado desde janeiro deste ano por violação sexual mediante fraude, importunação sexual e estupro de vulnerável.

A polícia afirmou que os crimes aconteceram dentro do consultório. De acordo com o delegado Dimitri Tostes Monteiro, responsável pela apuração, uma das vítimas relatou que foi abusada depois de ser hipnotizada por Sá.

O delegado pontuou que o médico tentava criar um ambiente seguro para as pacientes. Quando ganhava a confiança delas, praticava os abusos.

Ele até abordava o tema de empoderamento feminino, papel da mulher na sociedade para cativá-las, criar confiança para, durante o exame, praticar supostamente esses atos, esses abusos sexuais”, explicou Monteiro.

Relatos

Entre as vítimas, estão ex-alunas de Sá de uma faculdade particular de Maringá, onde ele dava aulas no curso de Medicina.

As mulheres confirmaram à RPC que foram violentadas sexualmente no consultório do ginecologista. Uma delas detalhou que percebeu algo de errado quando Sá quis examinar os seios dela fora do local de exame.

“Mas fiquei assim, por ele ser meu professor, não quis é…corrigi-lo ou questioná-lo, né? E depois, na consulta, ele falou que ia fazer um teste comigo pra ver como que eu estava em relação a minha sexualidade, a minha feminilidade. Nesse teste ele falou que não queria que eu pensasse de forma racional, que eu só pensasse com o meu instinto, que eu deixasse os tabus de lado e ficasse bem à vontade e daí ele pedia para eu tirar a minha blusa.”

Redes sociais

A Polícia Civil também investiga vídeos publicados nas redes sociais de Felipe Sá. Nas gravações, ele defende o empoderamento feminino e a valorização da autoestima das mulheres.


Por: Erasmo Lanz
Fonte/URL: http://rondoniadinamica.com/noticias/2023/06/ginecologista-preso-no-pr-policia-diz-que-37-mulheres-denunciaram-medico-por-abuso-sexual-em-maringa,164132.shtml

Artigos Relacionados

Após ser perseguido e agredido por populares, foragido da justiça é capturado pela PM em Vilhena

Unisp – Vilhena/Foto: Extra de Rondônia Na tarde da última terça-feira, 14,...

Homem agride idoso após ser confrontado por ter jogado lixo na rua; veja vídeo

Um homem agrediu um idoso após ser confrontado por ter jogado lixo...

FICCO realiza prisão de envolvido em atentado contra policial em RO; um veículo foi apreendido

FICCO é composta pela Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Penal e Secretaria...

Em Vilhena, policial federal presencia acidente, persegue e detém motorista que havia fugido

Motorista foi conduzido para a delegacia e Polícia Civil/Foto: Extra de Rondônia...