Menu

Rodovia da morte: 25 já morreram na BR-364 nos últimos três meses

Rodovia da morte: 25 já morreram na BR-364 nos últimos três meses

A Polícia Rodoviária Federal registrou de janeiro até agora 378 acidentes de trânsito nos 1.092 quilômetros de extensão do trecho entre Vilhena e Rio Branco (AC) da BR-364. Os números já representam 30% de todas as ocorrências do ano passado. Em 2015, a PRF contabilizou 1.256 acidentes, com 1.705 feridos e 111 mortos. Nos últimos três meses 25 pessoas morreram e 316 ficaram feridas.

 

De acordo com a PRF, mesmo com aumento da frota, houve uma redução de 8% no número de ocorrências na rodovia federal entre os anos de 2010 e 2014. Mas, pela quantidade de acidentes seguidos, principalmente no trecho entre os municípios de Presidente Médici e Vilhena, estima-se que a violência no trânsito tenha voltada a fazer mais vítimas.

Motoristas que trafegam pela BR-364 atribuem à quantidade de desastres as más condições de trafegabilidade. Segundo testemunhas, o acidente entre três veículos de carga registrado na última quarta-feira próximo ao distrito de Guaporé foi causado por um dos condutores que tentava desviar de um buraco na pista. Duas pessoas morreram. O acidente deixou a BR interdita nos dois sentidos por quase cinco horas.

 

No início de março, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) iniciou uma operação tapa-buracos utilizando barro no trecho entre Médice e Cacoal . “Colocaram numa quinta e no domingo os buracos já estavam abertos de novo”, reclamou um carreteiro.

 

Custos

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) prepara um levantamento minucioso para saber os custos gerados em atendimentos às vítimas de trânsito em Rondônia.  De acordo com pesquisa do Ipea, em todo o Brasil, os prejuízos chegam  a casa dos R$ 12,3 bilhões.

voltar ao topo